Entenda a diferença entre doença mental e deficiência mental

brain

Doença mental; deficiência mental. Termos tão parecidos, mas situações tão diferentes. Infelizmente, para muitos leigos que observam de longe, os dois parecem apenas nomes diferentes para a mesma coisa, mas é importantíssimo entender a diferença entre um e outro, para que muitos mal-entendidos sejam evitados. Para começar a nossa diferenciação, pode-se dizer que este é o típico caso de “nem todo aquele que sofre de uma doença mental é, também, um deficiente mental e vice-versa.”

O que é uma deficiência mental?

Ao contrário do que muitos pensam, a deficiência mental não é caracterizada apenas por um QI baixo. A deficiência mental é caracterizada, sim, por um funcionamento intelectual significativamente abaixo da média, mas que também é acompanhado de limitações significativas em pelo menos duas das seguintes áreas de habilidades: comunicação, autocuidados, vida doméstica, habilidades sociais/interpessoais, uso de recursos comunitários, auto-suficiência, habilidades acadêmicas, trabalho, lazer, saúde e segurança. O início deve ocorrer antes dos 18 anos. fonte: DSM IV (Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais, edição de 1994)

E a doença mental?

As doenças mentais são condições variadas que afetam o humor, o bom senso, a concentração e o bom desempenho de uma pessoa na sociedade. Elas podem ser neuroses ou psicoses. As neuroses são características comuns encontradas em qualquer pessoa, como o medo e a ansiedade, porém exageradas. Já as psicoses são fenômenos psíquicos anormais, como delírios, confusão mental e perseguição. Exemplos comuns de doenças mentais são a depressão, o TOC e a esquizofrenia.

Perceba que, embora as habilidades para interagir com o seu meio existam no doente mental, elas podem ficar comprometidas por fenômenos psíquicos anormais ou aumentados, que podem levar a uma percepção alterada daquilo que é a realidade.

O tratamento da deficiência e da doença mental

O tratamento para casos de doença mental, normalmente envolve psiquiatras e psicólogos. Embora seja possível que outras especialidades precisem intervir, isto não é tão comum nem tão frequente.

Nos casos de deficiência mental, algumas habilidades básicas para o convívio em sociedade e para a própria autonomia do sujeito não foram desenvolvidas ou estão consideravelmente comprometidas. Por isso o tratamento do deficiente mental é contínuo, a fim de estimular o desenvolvimento dessas habilidades necessárias ao paciente. Outra característica do seu tratamento é que, normalmente, ele é multidisciplinar, envolvendo educadores especiais, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e psicólogos. Quando se faz necessário o uso de medicamentos para controlar episódios de epilepsia, o acompanhamento de um psiquiatra é extremamente importante.

Embora deficiência mental e doença mental sejam distintas entre si, ainda é possível que um paciente apresente tanto uma quanto a outra. Nesses casos, o tratamento deve levar em conta ambas as situações, para que seja eficaz e melhor aproveitado.

Associação São Francisco no lançamento do novo CD do Rafinha

No dia 08 de agosto tivemos a oportunidade e o privilégio de prestigiar o show de lançamento do novo CD do nosso amigo, Rafinha. O seu novo trabalho, intitulado “Inteiro Metade”, foi lançado num lindo show no teatro Metrópole, no show que começou às 17h. Comparecemos com nossos meninos que puderam curtir uma noite diferente, badalada e regada a muito talento e música boa.

Você aí que nos lendo, ainda não conhece o trabalho do Rafinha? Então aproveita e dá uma passada lá no youtube para conhecer mais. É só clicar aqui. E, é lógico, não poderíamos deixar de registrar algumas fotos do evento.

CAM01947   CAM01949   IMG-20150808-WA0015 IMG-20150808-WA0016   IMG-20150808-WA0017   IMG-20150808-WA0019   IMG-20150808-WA0020   SHOW RAFINHA   SHOW   CAM01943   CAM01945