Rua David Maria Monteiro Gomes, 125 | LIGUE: (12) 3672-3149

O que um autista gostaria de poder te contar.

Infelizmente, a maioria das pessoas em nossa sociedade não convive com portadores de qualquer deficiência. Muitas vezes sem ter culpa disso, simplesmente nãos sabem como se portar numa situação em que precisam lidar com as diferenças entre os ditos “normais” e aqueles tem necessidades especiais. Aí acontecem as gafes que podem constranger e causar mal estar.

Aqui na Associação São Francisco, nós temos alguns assistidos que apresentam traços autísticos, como o Gabriel e a Karina. Por isso, resolvermos emprestar nossa voz às pessoas com autismo para listar algumas dicas de como conviver bem com quem é autista.

A vida do autista seria mais fácil se você soubesse que…

10. O autismo não me define.

Você não acha que “gordinho” é tudo que um obeso pode ser. Nem acha que uma pessoa alta é apenas uma pessoa alta. Existe muito mais do que características isoladas para definir alguém, por isso, lembre-se que eu não sou apenas autista, eu sou uma pessoa. Tenho gostos, preferências, vontades, medos e carências como todo ser humano.

9. Eu sinto diferente

Para você, uma ida ao supermercado pode ser corriqueira, mas para mim pode ser insuportável. As luzes podem ser ofuscantes. Pode ter muita gente falando ao mesmo tempo. O cheiro daquele peixe que você acha que é fresco pode me deixar completamente enjoado. Passar pelo corredor de refrigeradores pode ser uma tortura! Minha percepção de cores, sons, toques e cheiros é completamente diferente da sua. Por favor, entenda por quê eu me irrito quando para você está tudo normal.

8. Tem horas que eu simplesmente não te entendo

Veja bem, não estou te ignorando ou desobedecendo. É que tem horas que eu não te entendo. Se você me chama gritando do outro lado da casa, eu só entendo “#@%$#¨@ João !@$#%$¨%&”. Quando precisar chamar minha atenção venha até mim e fale diretamente comigo. Então eu poderei te entender melhor.

 

7. Eu não entendo linguagem figurada

Por favor, não me peça para segurar a onda quando eu não estiver na praia. Em vez disso, me peça para parar de correr. Não me diga que está chovendo canivetes, porque eu vou achar que posso me cortar se sair na chuva. Em vez disso, me diga apenas que está chovendo muito. Eu só consigo entender aquilo que é concreto.

6. Me mostre como se faz

Se você me der instruções longas, eu não vou conseguir entender muito bem. Por favor me mostre. Talvez você tenha que mostrar muitas vezes, mas vou fazer meu melhor para aprender como se faz.

5. Às vezes quero dizer algo, mas não tenho palavras

Tem vezes que eu preciso dizer algo, mas não tenho palavras. Pode ser a fome, o frio, as luzes muito claras que me incomodam, ou os sons que estão me confundindo. Preste atenção à minha linguagem corporal, ela pode dizer mais do que eu consigo falar às vezes.

4. Me ajude em situações sociais

Eu posso ficar desconfortável e ansioso com interação social. Se eu não quero participar de uma brincadeira, pode ser que eu simplesmente não saiba como começar a interagir com o grupo. Eu não entendo expressões faciais muito bem e não consigo ler as emoções das pessoas quando elas se machucam, estão magoadas ou felizes. Você pode me ajudar a aprender algumas habilidades para conviver em grupo.

3. Vamos construir a partir do que eu consigo

Em vez de focar naquilo que eu não consigo, vamos trabalhar com aquilo que eu consigo. Se você se preocupar apenas com aquilo que eu não sou capaz de fazer, vou acabar me sentindo incapaz de qualquer coisa.

2. Conheça os meus gatilhos

Existem gatilhos que me fazem ter crises. Pode ser sons, lugares ou situações específicas. Tente aprender quais são eles e a evitá-los. Assim a minha vida fica mais fácil.

1. Simplesmente me ame

Como eu disse antes, eu sou uma pessoa. Preciso de alguém que me ame incondicionalmente e de um lugar que seja meu porto seguro. Veja que além das minhas limitações, existe alguém que precisa de amor e que quer amar também.

Se você seguir algumas dessas dicas, com certeza esses meninos e meninas tão especiais ficarão felizes e terão vidas mais tranquilas. Pense nisso quando estiver junto de um autista

gabriel

Karina e Gabriel são dois dos nossos assistidos com traços autísticos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *