Dia internacional da pessoa com deficiência

Hoje é o Dia Internacional das Pessoas com Deficiências. Uma data criada pela Organização das Nacões Unidas, para celebrar a diversidade e recordar aqueles que, até então, foram amplamente negligenciados. Hoje é um dia especial para refletirmos a respeito de quanto amor nós temos dedicado a essas pessoas tão especiais e quanto mais podemos fazer por eles e por um mundo mais igualitário e justo.

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiências tem sido comemorado desde 1992, para promover a conscientização e mobilizar apoio para questões importantes relacionadas à inclusão das pessoas com deficiência na sociedade. O Dia trabalha para promover uma ação de sensibilização sobre as questões da deficiência e chamar a atenção para os benefícios de uma sociedade inclusiva e acessível a todos.

Os governos, agências da ONU, organizações da sociedade civil, instituições acadêmicas e do setor privado são encorajados a criar parcerias com organizações de pessoas com deficiência para organizar eventos e atividades para comemorar o Dia.

A cada ano, um novo tema é escolhido para tratar da inclusão de pessoas com deficiência. Em 2015 o tema será

Inclusão importa: a acessibilidade e o empoderamento para pessoas de todas as habilidades

A estimativa é de um bilhão pessoas que vivem com deficiência em todo o mundo. Elas enfrentam muitas barreiras à inclusão, em muitos aspectos-chave da sociedade. Como resultado, as pessoas com deficiência não gozam de acesso à sociedade em condições de igualdade com os outros, o que inclui áreas de transporte, emprego e educação, bem como a participação social e política. O direito de participar na vida pública é essencial para criar democracias estáveis, a cidadania ativa, além de reduzir as desigualdades na sociedade.

Pessoas com deficiência devem ser capazes de cumprir o seu papel na sociedade e participar em condições de igualdade com os outros. É importante concentrar-se na capacidade e não na incapacidade do indivíduo. Muitas vezes, a imagem social das pessoas com deficiência é afetada por atitudes baseadas no estigma e na discriminação. É importante notar que a deficiência faz parte da condição humana, e que qualquer um de nós pode se tornar deficiente em um grau ou outro durante o curso de nossas vidas.

Ao promover o empoderamento, oportunidades reais para as pessoas são criadas. Empoderamento envolve investimento nas pessoas – no emprego, saúde, nutrição, educação e proteção social. Quando as pessoas estão habilitadas elas ficam mais preparadas para aproveitar as oportunidades, tornam-se agentes de mudança e podem mais facilmente abraçar suas responsabilidades cívicas.

Sub-temas para o Dia Internacional das Pessoas com Deficiências de  2015:

  • Tornando cidades inclusivas e acessíveis para todos
  • Melhorando os dados e as estatísticas sobre deficiência
  • Incluindo pessoas com deficiências invisíveis na sociedade e no desenvolvimento

Estima-se que até 2050, 66% da população mundial estará vivendo em cidades. A Terceira Conferência Global das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Sustentável – Habitat III – terá lugar em 2016 para rever o progresso, a experiência e as lições aprendidas no passado e conceber uma “Nova Agenda Urbana”.

É importante ressaltar que a Nova Agenda urbana deve assegurar que futuras cidades, infraestruturas e serviços urbanos básicos sejam ambientalmente mais acessíveis, fáceis de usar e inclusivos quanto às necessidades de todas as pessoas, incluindo as pessoas com deficiência. O Dia Internacional será usado para discutir e apresentar algumas das melhores práticas de urbanização inclusiva.

Campanha Natal sem Fome 2015!

Natal sem fome 2015

[font font=”” tag=”h4″ size=”” align=”center” font_weight=”none” css=””]Não deixe de apoiar esta causa! Nos procure até o dia 14 de dezembro![/font]

A campanha Natal sem fome chega a sua décima segunda edição em 2015 e, é claro, a Associação São Francisco não poderia ficar de for a! Esta é uma campanha promovida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, da qual temos o prazer e a honra de participar desde a primeira edição. Ela tem o objetivo de arrecadar alimentos não perecíveis para assistir famílias carentes, bem como entidades que promovam assistência social.

Nas edições anteriores, a arrecadação era realizada em uma data marcada, nas ruas. Ela era feita com o auxílio de diversos voluntários. Já em 2015, o formato da campanha teve uma pequena alteração: estamos todos ajudando com a arrecadação desde agora, para que as doações sejam apuradas e então se decida pela arrecadação nas ruas ou não. Por isso, convidamos você para nos ajudar também! Estamos aceitando doações de alimentos não perecíveis para a campanha.

Quem quiser dar uma força para o Natal daqueles que necessitam, pode nos procurar até o dia 14 de dezembro.

Dia das crianças 2015

Ah, a infância! Essa época saudosa da qual nós apenas guardamos lembranças. É um tempo de pureza, inocência, constante aprendizado e desenvolvimento. Nossa infância é marcada por aprendizados diários, em que passo a passo, conquistamos nosso espaço na vida e descobrimos um pouco mais sobre o mundo.

O dia da criança passou a ser celebrado em vários países desde 1925, quando aconteceu a conferência mundial para o bem-estar da criança, em Genebra. A data varia de país para país: Portugal, Angola e Moçambique, por exemplo, comemoram o dia internacional da criança todo dia 1 de junho. Já a ONU, estabeleceu o dia 20 de novembro como o Dia Mundial  da Criança, com a Declaração Universal dos Direitos da Criança, em 1959. Ler mais

O que é (e o que não é) moradia assistida?

plant_hand_giving

A moradia assistida, também conhecida como residência inclusiva, é uma unidade que oferece acolhimento institucional. Ela não é uma clínica, nem um local de tratamento, mas uma residência, de fato: um local onde as pessoas moram e buscam fazer dele um lar. São residências adaptadas às necessidades especiais, individuais e coletivas dos atendidos por elas. Além disso, contam também com uma equipe multidisciplinar qualificada para prestar um atendimento personalizado e qualificado.

A moradia assistida é oferecida a adultos e jovens maiores de dezoito anos com deficiência, em situação de dependência, que não disponham de condições de autossustentabilidade ou de retaguarda familiar e/ou que estejam em processo de desinstitucionalização de instituições de longa permanência. Crianças e adolescentes menores de dezoito anos devem ser acolhidos por entidades específicas para eles.

Recomenda-se que a residência atenda até 10 jovens e adultos em situação de dependência. Ela deve estar bem localizada, possivelmente num bairro residencial e, ao mesmo tempo, tendo acesso fácil aos serviços necessários para o bem-estar dos residentes. Ela também deve contar com uma equipe de cuidadores que acompanham os assistidos, estimulando-os para que eles possam adquirir um maior grau de independência na realização de tarefas cotidianas.

O atendimento às pessoas com necessidades especiais tem, na sua história, uma tendência segregacionista, ou seja, buscava-se, antes, isolar o sujeito em situação de dependência e vulnerabilidade em asilos. O atendimento oferecido nos moldes da residência inclusiva propõe justamente o oposto: aproximar e integrar o sujeito à comunidade.

A moradia assistida abandona toda a imagem negativa associada às condições precárias dos asilos de outrora, oferecendo condições dignas de abrigo: instalações apropriadas, bem mantidas e ventiladas, como dito anteriormente, de fato, procura-se oferecer um lar. O assistido divide seu novo lar com um número reduzido de internos, com quem pode manter uma convivência próxima e saudável e ainda tem acesso a todos os serviços necessários para o seu bem estar e desenvolvimento, bem como oportunidades de envolvimento na comunidade local, benefícios propiciados por um dos pré-requisitos da moradia assistida, que é sua boa localização.

Resumidamente, podemos dizer que a moradia assistida investe todos os seus esforços no propósito de oferecer uma moradia digna e humana para aqueles que são uns dos mais vulneráveis em nossa sociedade. Não se trata de uma clínica, pois todo tratamento necessário é realizado externamente. Não se trata de um asilo, onde as pessoas podem ser deixadas e, de algum modo, esquecidas pela comunidade. Trata-se de uma casa; um lar compartilhado por pessoas com necessidades similares, onde moram e são estimulados por uma equipe, multidisciplinar e capacitada, a alcançarem, gradativamente, um maior grau de independência em seu dia-a-dia.

Festival de pizzas na Associação

Que tal dar uma força para a Associação São Francisco e ainda saborear uma deliciosa pizza pré-assada?

Então aproveita nossa parceria com o pessoal do Hiper Massas e adquira já suas pizzas. São cinco opções:

  1. Calabresa
  2. Mussarela
  3. Portuguesa
  4. Frango com requeijão
  5. Presunto

Ficou interessado? Então ligue para nós, nos telefones (12)3631-5676, ou (12)99709-3235

Festival de Pizza    Festival de Pizzas imagem

Entenda a diferença entre doença mental e deficiência mental

brain

Doença mental; deficiência mental. Termos tão parecidos, mas situações tão diferentes. Infelizmente, para muitos leigos que observam de longe, os dois parecem apenas nomes diferentes para a mesma coisa, mas é importantíssimo entender a diferença entre um e outro, para que muitos mal-entendidos sejam evitados. Para começar a nossa diferenciação, pode-se dizer que este é o típico caso de “nem todo aquele que sofre de uma doença mental é, também, um deficiente mental e vice-versa.”

O que é uma deficiência mental?

Ao contrário do que muitos pensam, a deficiência mental não é caracterizada apenas por um QI baixo. A deficiência mental é caracterizada, sim, por um funcionamento intelectual significativamente abaixo da média, mas que também é acompanhado de limitações significativas em pelo menos duas das seguintes áreas de habilidades: comunicação, autocuidados, vida doméstica, habilidades sociais/interpessoais, uso de recursos comunitários, auto-suficiência, habilidades acadêmicas, trabalho, lazer, saúde e segurança. O início deve ocorrer antes dos 18 anos. fonte: DSM IV (Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais, edição de 1994)

E a doença mental?

As doenças mentais são condições variadas que afetam o humor, o bom senso, a concentração e o bom desempenho de uma pessoa na sociedade. Elas podem ser neuroses ou psicoses. As neuroses são características comuns encontradas em qualquer pessoa, como o medo e a ansiedade, porém exageradas. Já as psicoses são fenômenos psíquicos anormais, como delírios, confusão mental e perseguição. Exemplos comuns de doenças mentais são a depressão, o TOC e a esquizofrenia.

Perceba que, embora as habilidades para interagir com o seu meio existam no doente mental, elas podem ficar comprometidas por fenômenos psíquicos anormais ou aumentados, que podem levar a uma percepção alterada daquilo que é a realidade.

O tratamento da deficiência e da doença mental

O tratamento para casos de doença mental, normalmente envolve psiquiatras e psicólogos. Embora seja possível que outras especialidades precisem intervir, isto não é tão comum nem tão frequente.

Nos casos de deficiência mental, algumas habilidades básicas para o convívio em sociedade e para a própria autonomia do sujeito não foram desenvolvidas ou estão consideravelmente comprometidas. Por isso o tratamento do deficiente mental é contínuo, a fim de estimular o desenvolvimento dessas habilidades necessárias ao paciente. Outra característica do seu tratamento é que, normalmente, ele é multidisciplinar, envolvendo educadores especiais, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e psicólogos. Quando se faz necessário o uso de medicamentos para controlar episódios de epilepsia, o acompanhamento de um psiquiatra é extremamente importante.

Embora deficiência mental e doença mental sejam distintas entre si, ainda é possível que um paciente apresente tanto uma quanto a outra. Nesses casos, o tratamento deve levar em conta ambas as situações, para que seja eficaz e melhor aproveitado.

Associação São Francisco no lançamento do novo CD do Rafinha

No dia 08 de agosto tivemos a oportunidade e o privilégio de prestigiar o show de lançamento do novo CD do nosso amigo, Rafinha. O seu novo trabalho, intitulado “Inteiro Metade”, foi lançado num lindo show no teatro Metrópole, no show que começou às 17h. Comparecemos com nossos meninos que puderam curtir uma noite diferente, badalada e regada a muito talento e música boa.

Você aí que nos lendo, ainda não conhece o trabalho do Rafinha? Então aproveita e dá uma passada lá no youtube para conhecer mais. É só clicar aqui. E, é lógico, não poderíamos deixar de registrar algumas fotos do evento.

CAM01947   CAM01949   IMG-20150808-WA0015 IMG-20150808-WA0016   IMG-20150808-WA0017   IMG-20150808-WA0019   IMG-20150808-WA0020   SHOW RAFINHA   SHOW   CAM01943   CAM01945

Prevenindo a deficiência intelectual

gravidas

Você sabia que com informação, prevenção e ação, cerca de 30 a 40 porcento dos casos de deficiência intelectual poderiam ser evitados?

Se você planeja ter filhos, algumas condutas são fundamentais para garantir um bom desenvolvimento intelectual e físico a ele. São medidas de prevenção que podem ser tomadas desde antes da concepção da criança, durante a gestação e até o pós-parto.
[heading h=”h3″ align=”left” font=”” font_size=”” subtitle=”” border=”false” css=””]Antes da encomenda[/heading]
Se você ainda está na fase do planejamento, não comece a tentar engravidar antes de tomar algumas medidas preventivas. Faça uma visita ao seu médico e informe-o sobre seus planos de engravidar. Para começar, ele deverá fazer um pedido de uma série de exames, incluindo HIV, sífilis, hepatite e toxoplasmose. Além disso, ele certamente recomendará uma suplementação de ácido fólico, que pode prevenir problemas como má formação do tubo neural ou até mesmo a anencefalia. Finalmente, ele deve fazer uma revisão de sua carteira de vacinação e pedir a complementação com as vacinas faltantes, caso sejam necessárias. Dentre as vacinas, é importante prestar atenção especial à imunização contra a Rubéola que, se for contraída durante a gestação, pode trazer várias complicações para a criança.
Além da visita ao médico, alguns outros cuidados são valiosos. Um deles é evitar o casamento entre parentes próximos, que aumentam os riscos de problemas genéticos. Nessa fase é muito importante cortar o álcool e, também, tomar alguns cuidados quanto a medicamentos de uso contínuo. Caso haja histórico de deficiência intelectual na família, é possível também que o casal passe por um aconselhamento genético, a fim de ajudar na tomada de decisões e o conhecimento das reais probabilidades de se ter filhos portadores de algum tipo de deficiência.
[heading h=”h3″ align=”left” font=”” font_size=”” subtitle=”” border=”false” css=””]Durante a gestação[/heading]
É fundamental que todo o consumo de álcool seja cortado pela mãe durante a gestação. A síndrome do alcoolismo fetal é a deficiência intelectual prevenível com maior ocorrência atualmente. Ela ocorre em decorrência do consumo de álcool durante a gravidez. Como não existe um limite seguro para o consumo dessa substância durante a gestação, é aconselhado que não se ingira álcool algum durante este período. Obviamente, a mesma regra vale para qualquer outro narcótico.
Durante a gestação, principalmente no primeiro trimestre, evite exposição a radiação (raios X) e também evite contato com pessoas com doenças infecciosas. Se precisar ser medicada, jamais o faça sem a orientação do seu médico. Caso seja necessário passar por algum pronto atendimento, sempre avise a respeito da gestação, para que o médico responsável use medicamentos seguros.
[heading h=”h3″ align=”left” font=”” font_size=”” subtitle=”” border=”false” css=””]Durante e após o parto[/heading]
Dê preferência a ter seu filho, ou filha, em um hospital ou maternidade de confiança; num ambiente limpo e seguro, que adote procedimentos adequados para o parto. Na escolha deste ambiente, o que conta muito é a reputação do lugar. Verifique com conhecidos, amigos e familiares que já utilizaram os serviços desses profissionais e instituições.
Uma vez nascida a criança, é importantíssimo que se faça os testes apropriados aos recém-nascidos. O teste do pezinho, aquele em que o sangue da criança é colhido do seu calcanhar, é fundamental nesta ocasião. Ele é simples, absolutamente não traumático, e pode detectar problemas que, se tratados adequadamente, podem evitar complicações que levem à deficiência intelectual no futuro, entre outros problemas.
Atualmente são oferecidos, em linhas gerais, três variações do teste: o básico, o ampliado e o mais completo, conhecido como super, master ou plus em alguns laboratórios.
A rede básica de saúde contempla a realização do básico sem custo algum. Faz parte das políticas de saúde do país, a realização do teste básico em todos os recém-nascidos em terras brasileiras desde 2001. O teste básico abrange o diagnóstico para fenilcetonúria, que é uma doença genética caracterizada pela ausência ou carência de uma enzima ligada ao metabolismo do aminoácido fenilalanina, presente em diversos tipos de alimentos e o diagnóstico para o hipotireoidismo congênito, que é a baixa produção dos hormônios da glândula tireóide.

Além das duas doenças descritas acima, alguns tipos de teste do pezinho incluem também o exame para outras doenças, que se tratadas e controladas cedo evitarão sérios problemas no futuro. O teste do pezinho ampliado varia muito de cidade para cidade, dependendo da instituição, portanto é necessário pedir informações na maternidade. Entre as doenças incluídas nesse tipo de exame estão a anemia falciforme e outras alterações de hemoglobina (chamadas de hemoglobinopatias), fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita, galactosemia, deficiência de biotinidase, deficiência de glicose-6-fosfato-desidrogenase (G6PD) e toxoplasmose congênita. É comum que os planos de saúde tenham cobertura para esta triagem. Caso você seja usuário de algum plano, informe-se com ele a respeito da cobertura.

Já a triagem “plus”, “master” ou “super”, testam o material colhido para até 48 doenças. Nem sempre o pediatra considera necessário pedir este tipo de teste, dependendo muito do histórico familiar e outros fatores que o façam considerar este tipo de triagem. Neste caso, o teste normalmente é particular e os planos cobrem apenas parte de seus custos. Para mais informações a respeito deste tipo de triagem, é possível consultar este material aqui.

12 anos de história

 

 

No dia 19 de julho de 2003, iniciamos nossa história. E nossa história começou com um sonho e um objetivo claro: oferecer serviços de qualidade para pessoas portadoras de deficiência intelectual e assistir suas famílias. Contudo, não desejávamos apenas oferecer um local qualquer, mas sim um lugar digno de ser chamado lar para nossos assistidos.

Daí veio nosso método de trabalho, já tão bem conhecido pelas famílias de nossos assistidos e pelos nossos amigos e parceiros. Após esses doze anos de muito trabalho, chegamos onde estamos, com três casas com capacidade para dez pessoas cada uma. Conseguimos, com a graça de Deus e a sua confiança, progredir nos números enquanto continuávamos prezando pela qualidade. O resultado é este, do qual podemos dar testemunho: conseguimos, dia após dia, oferecer o serviço com o qual sonhamos lá no início, com as dificuldades que vêm, mas sempre com o inestimável apoio de todos vocês.

Neste mês de Julho de 2015, só temos pelo quê agradecer. Muito obrigado, amigos e família; clientes e parceiros. Vocês todos fazem parte da nossa história.

 

002   014   046 051   341   449 20150306_175707   20150508_094623   IMG-20140804-WA0004 SAM_0053     SAMSUNG CAMERA PICTURES  SAM_0114